ESPAÇO COLECTIVO ARTISTICO E CULTURAL - COORDENADO PELA POETISA AMÉRICA MIRANDA - E ONDE SE INSEREM AS CONTRIBUIÇÕES DE TODOS OS TERTULIANOS, TANTO EM VERSO COMO EM PROSA, COM O OBJECTIVO DE DIVULGAÇÃO E HOMENAGEM AO GRANDE POETA ELMANO SADINO !
Quarta-feira, 9 de Fevereiro de 2005
A TERTÚLIA ITINERANTE - « Tertúlia à moda do Minho »

 Crónica de Assis Machado


            Realizou-se no transacto dia cinco do corrente – mais uma vez no Auditório Carlos Paredes, à Avenida Gomes Pereira, em Benfica – uma muito concorrida Tertúlia  "Ao Encontro de Bocage". Como era de esperar o público aderiu bem como, aliás, tem acontecido em quase todas as sessões.  A razão do nosso título, em epígrafe, deve-se a que o segundo número desta Tertúlia, se baseava na actuação do Grupo Etnográfico Danças e Cantares do Minho que – após a abertura inicial em que teve lugar um Diálogo Poético encenado por América Miranda e Félix Heleno, que animaram todo o público presente, tendo este último cantado duas canções a play-back – se exibiu a alto nível técnico. Uma após outra foram evoluindo algumas célebres Danças do Folclore minhoto que, bem acompanhadas musicalmente pelo dito Grupo, deram brilho e dinamismo a esta Tertúlia. Terminada esta actuação subiram ao palco sucessivamente, portando-se à altura do evento, diversos tertulianos, tais como:  Celeste Reis e América Miranda, com dois poemas seus cada uma, que foram muito aplaudidas pelo público.  Júlio Roberto que, com o seu charme declamativo tradicional, deliciou mais uma vez o público presente.  Humberto de Castro que interpretou a karaok, duas canções e declamou dois poemas de sua autoria, que muito agradaram a todos. Graciett Vaz, Francisco de Assis, Eugénia Chaveiro e Armando David. As suas actuações foram muito apreciadas.  De seguida actuou, com duas canções de sua autoria, uma delas em estreia, o cantor tertuliano Francisco de Assis. Fazendo-se acompanhar à viola as suas interpretações agradaram ao público.  Depois foi a vez das tertulianas Amélia Marques, Perpétua Matias e América Miranda que com alguns poemas de bom gosto encantaram o público.  E novamente Humberto de Castro subiu ao palco para interpretar, também a karaok, mais duas canções desta vez de Zeca Afonso. O público gostou e acompanhou.


            Para terminar e acabar em beleza América Miranda mandou subir ao palco os principais tertulianos que, em coro, e acompanhados por Francisco de Assis à viola, cantaram com entusiasmo o Hino da Tertúlia.  Pelo desenrolar de todas as iniciativas, com beleza , com dinamismo e com variações interessantes de temas e de cantares, teve lugar hoje, com toda a propriedade, uma autêntica "Tertúlia à moda do Minho".


                                                                                                             Assis Machado



publicado por assismachado às 10:36
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De Anónimo a 9 de Fevereiro de 2005 às 18:17
Como eu invejo, apesar de tudo, todos aqueles que ainda dançam e cantam, sem se lembrarem que
há por aí muitos que não têm onde cair mortos ...

Trata-se do lado risonho da vida !

No NameNo Name
</a>
(mailto:hugomsgomes@hotmail.com)


Comentar post