ESPAÇO COLECTIVO ARTISTICO E CULTURAL - COORDENADO PELA POETISA AMÉRICA MIRANDA - E ONDE SE INSEREM AS CONTRIBUIÇÕES DE TODOS OS TERTULIANOS, TANTO EM VERSO COMO EM PROSA, COM O OBJECTIVO DE DIVULGAÇÃO E HOMENAGEM AO GRANDE POETA ELMANO SADINO !
Quarta-feira, 25 de Maio de 2005
"PARA QUE CONSTE" - ANTÓNIO CARVALHO
HOMENS, ARTES E TRETAS II

Por
António Carvalho

Pelo exposto anteriormente só estiveram patentes 249 trabalhos de cento e quarenta e oito artistas das várias centenas que concorreram.
Uma grande parte dos artistas portugueses ( cursados ou não ) de grande nomeada e que pertenciam ao “Grupo de Artistas Portugueses” foram pura e simplesmente recusados...
Assim no ano seguinte ( 1958 ) realizaram uma exposição das “Obras Recusadas”, num total de cem Trabalhos de trinta e nove pintores e quatro escultores. Entre os artistas excluídos estavam: Albertino Guimarães, Alda Machado Santos, Domingos Rebêlo, Fortunato Anjos, Fernando Santos ( Prémio Rocha Cabral – 1929 ); António Saúde (Medalha de Honra da SNABA); João Reis, possuidor de várias medalhas internacionais, e muitos clássicos e impressionistas. Os escultores: Júlio Vaz Júnior, outra medalha de Honra da Casa dos Artistas; João da Silva, premiado em Paris, Barcelona e Rio de Janeiro, e Raúl Xavier, condecorado com o Oficialato de Cristo, na Exposição do Mundo Português.
Estávamos num período de “renovação” e as relações entre figurativos, abstractos e outras tendências estéticas eram hostis. No ano de 56, já nas Belas Artes se tinha realizado o “Salão dos Artistas de Hoje” e finalizado a “Geral de Artes Plásticas”. No ano seguinte ( ano da exposição da Gulbenkian ) dá-se a reforma do ensino das Belas Artes.
Ao tempo já existiam dois agrupamentos de grande mérito: o “Grupo dos Artistas Portugueses – GAP” (1945) onde estavam muitos dos pintores e escultores já mencionados, e o “Grupo Português dos Aguarelistas – GPA “ ( 1949 ) a que pertenciam José Félix, Alberto de Sousa (vogal da Academia de Belas Artes), Mário Salvador e muitos outros mestres da especialidade.
A Gulbenkian cessa as suas exposições com a realização da 2ª Exposição deste género em 1961, passando a um intercâmbio com o estrangeiro e certames itinerantes.

António Carvalho, Do Catálogo da 1ª Exposição, 1957


publicado por assismachado às 19:34
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

A VOZ POÉTICA DOS TERTULI...

TERTULIANOS LAUREADOS - M...

A TERTÚLIA NO FACEBOOK

POEMAS DE GOETHE

O SÉCULO DE BOCAGE

POETAS DO FUTURO

OS AMIGOS DE ITÁLIA

TERTÚLIA ANUAL DE HOMENAG...

COLABORAÇÃO POÉTICA

TRIBUNA DOS TERTULIANOS

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2012

Maio 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Dezembro 2009

Setembro 2009

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds