ESPAÇO COLECTIVO ARTISTICO E CULTURAL - COORDENADO PELA POETISA AMÉRICA MIRANDA - E ONDE SE INSEREM AS CONTRIBUIÇÕES DE TODOS OS TERTULIANOS, TANTO EM VERSO COMO EM PROSA, COM O OBJECTIVO DE DIVULGAÇÃO E HOMENAGEM AO GRANDE POETA ELMANO SADINO !
Quinta-feira, 28 de Julho de 2005
CRÍTICA BOCAGEANA - ALMEIDA GARRETT
SEGUNDA GARRETTIANA


... A metrificação de Bocage, julgam-na sua melhor qualidade; eu, a pior; ao menos, a que piores efeitos causou. Não fez ele um verso duro, mal-soante, frouxo; porém, não são esses os únicos defeitos dos versos. As várias ideias, as diversas paixões e afectos, as distintas posições e circunstâncias do assunto, do objecto, de mil outras coisas, variada medida exigem; como exige a música vários tons e cadência. A mesma medida sempre, embora cheia e boa; o mesmo tom, embora afinado; a mesma harmonia, embora perfeita; o mesmo compasso, embora exacto, fazem monótona e insuportável a mais bela peça de música ou de poesia. E tais são os versos de Bocage, que nos pertendem dar para tipo seus apaixonados cegos: digo «cegos», porque muitos tem ele ( e nesse núnero eu me conto ) que o são, mas não cegos. Imitar com o som mecânico das vozes a harmonia íntima da ideia, suprir com as vibrações que só podem ferir a alma pelo órgão dos ouvidos, a vida, o movimento, as cores, as formas dos quadros naturais, eis aí a superioridade da poesia, a vantagem que tem sobre todas as outras belas artes; mas, quão difícil é perceber e executar esse delicadíssimo ponto. Poucos o conseguiram: Francisco Manuel foi entre nós o que mais finamente o entendeu e executou, mas nem sempre, nem cabalmente.
Porém, nos intervalos lúcidos que a Bocage deixava o fatal desejo de brilhar, nalguns instantes em que, despossesso do demónio das hipérboles e antíteses, ficava seu grande engenho a sós com a natureza e em paz com a verdade, então se via a imensidade dessa grande alma, a fina têmpera desse raro engenho que a aura popular estragou; perdeu o pouco estudo, os costumers desregrados, a miséria, a dependência, a soltura, a fome. Muitas epístolas, , vgários edílioas marítimos, algumas fábulas e epigramas, as cantatas, não são medíocres medidas de glória. Dos sonetos há grande cópia que não tem igual nem em português, nem em língua nenhuma, duma força,duma valentia, duma perfeição admirável. O resto é pequeno e pouco. A linguagem é pobre: às vezes fácil, mas em geral escassa. Sabia pouco a Língua: a força do grande instinto lhe arredava os erros; mas as belezas do idioma, só as dá e ensina o estudo. As traduções de Ovídio, Delille e Castel são primorosas.

F I M

« Ilustração Bocageana »

( Segundo Garrett )

..................
Troquem-se os choros em hinos mélicos,
Em ledos cantos as nénias fúnebres;
Desarreiguemos d’ alma
A seva dor anguífera.

Sim, adoremos, tácitos, tímidos,
O Deus terrível, dos homens árbitro,
Que empunha, que arremessa
O raio horrendo e rápido.

Tu, que professas virtudes sólidas,
Ah, não consintas, cristão, filósofo,
Que abale inútil mágoa
Tua constância rígida.

Bocage
In RIMAS


publicado por assismachado às 14:53
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

A VOZ POÉTICA DOS TERTULI...

TERTULIANOS LAUREADOS - M...

A TERTÚLIA NO FACEBOOK

POEMAS DE GOETHE

O SÉCULO DE BOCAGE

POETAS DO FUTURO

OS AMIGOS DE ITÁLIA

TERTÚLIA ANUAL DE HOMENAG...

COLABORAÇÃO POÉTICA

TRIBUNA DOS TERTULIANOS

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2012

Maio 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Dezembro 2009

Setembro 2009

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

links
blogs SAPO
subscrever feeds