ESPAÇO COLECTIVO ARTISTICO E CULTURAL - COORDENADO PELA POETISA AMÉRICA MIRANDA - E ONDE SE INSEREM AS CONTRIBUIÇÕES DE TODOS OS TERTULIANOS, TANTO EM VERSO COMO EM PROSA, COM O OBJECTIVO DE DIVULGAÇÃO E HOMENAGEM AO GRANDE POETA ELMANO SADINO !
Quarta-feira, 7 de Setembro de 2011
MEMÓRIA PARA SEMPRE

 

 

                                                 Machado de Assis  (1839 - 1908)  

                                                                 

 

ELA

Seus olhos que brilham tanto,
Que prendem tão doce encanto,
Que prendem um casto amor
Onde com rara beleza,
Se esmerou a natureza
Com meiguice e com primor

Suas faces purpurinas
De rubras cores divinas
De mago brilho e condão;
Meigas faces que harmonia
Inspira em doce poesia
Ao meu terno coração!

Sua boca meiga e breve,
Onde um sorriso de leve
Com doçura se desliza,
Ornando purpúrea cor,
Celestes lábios de amor
Que com neve se harmoniza.

Com sua boca mimosa
Solta voz harmoniosa
Que inspira ardente paixão,
Dos lábios de Querubim
Eu quisera ouvir um -sim-
P’ra alívio do coração!
Vem, ó anjo de candura,
Fazer a dita, a ventura
De minh’alma, sem vigor;
Donzela, vem dar-lhe alento,
“Dá-lhe um suspiro de amor!”


ASSIS, Machado de, 1839 – 1908
Globo 1997 – Obras Completas

*

 

 


A CAROLINA 


Querida, ao pé do leito derradeiro
Em que descansas dessa longa vida,
Aqui venho e virei, pobre querida,
Trazer-te o coração do companheiro.

Pulsa-lhe aquele afeto verdadeiro
Que, a despeito de toda a humana lida,
Fez a nossa existência apetecida
E num recanto pôs o mundo inteiro.

Trago-te flores, - restos arrancados
Da terra que nos viu passar unidos
E ora mortos nos deixa e separados.
Que eu, se tenho nos olhos malferidos
Pensamentos de vida formulados, 
São pensamentos idos e vividos.

 

 

ASSIS, Machado de

O Melhor Poema do Autor, 

segundo os mais ilustres críticos.



publicado por assismachado às 07:20
link do post | comentar | favorito

AMIGOS DA TERTÚLIA

DEBUTANTES

 

Ele feito só de receios

Tem medo do que anseia

Atrapalhado fica no meio

Enredado na sua teia.

 

Sem saber bem o que fazer

Nem recua, nem avança,

Mas lá acaba por vencer

A sua timidez de criança.

 

Pé ante pé lentamente

Vão crescendo em ousadia

Com carícias docemente

Vão escrevendo poesia.

 

Aspiram um néctar divino

Bebem ávidos de prazer!

Quem há pouco era menino

Agora deixou de o ser.

 

Felizes e embriagados,

Beberam taças de loucura,

E adormeceram cansados

Em finos lençóis de ternura.

 

Fernando Serrano

 

*

PRIMAVERA

 

Dia Mundial da Poesia

 

Eu sei dum ninho

De passarinho

Tem três ovinhos

Feito no chão

De cotovia.

 

É Primavera

E a luz do dia

Primaveril

Sobe ao monte

E abraça o mundo inteiro.

 

Primavera é esperança,

Renovação,

A esperança alcança

E o ninho

Feito no chão

De cotovia

É um grito de alegria.

 

Aires Plácido



publicado por assismachado às 06:56
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 6 de Setembro de 2011
AMIGOS DO BRASIL

                                       Silas Leite - Poetinha de Itararé

 

 

DESVIVER

 

 

Eu sei o que é não sentir nada

Eu sei o que é não querer sentir

É como se eu me cortasse no escrever

Para dizer que assim sinto alguma coisa

Que não necessariamente sei exactamente o que é.

 

Escrevendo é que eu de alguma forma me sinto

Existir eu fui sublimando na sobrevivência terrível

De nunca não sentir

O não-ser no não-lugar, um entre-ser…

(Cortava os pulsos com poemas

Escrever era fuga… no desviver).

 

Vazio espiritual. Entorpecimento.

O não sentir (Não acusava os golpes?)

Frustrações, medos, incompletudes…

Custei e emergir no meu pântano existencial.

 

Minha poesia, minha âncora,

Mergulho em mim

Para me sentir preso a alguma coisa…

 

Silas Correa Leite

Itararé, Brasil

 

*

 

AGRADEÇO À VIDA

 

Agradeço à vida

Ter-me dado tanto.

Agradeço a Deus

Conhecer o teu encanto.

Agradeço à vida

Todos os sons e o ouvir

Pois com as palavras te declaro

Quanto te quero sentir.

Agradeço à vida

Todas as luzes e o ver.

Pois é com este olhar

Que vejo teus lindos olhos… negros

Agradeço à vida

O poder distinguir

Entre toda a multidão

A mulher que eu amo.

 

Céu, Lua, Estrelas,

Tudo tem o seu encanto

Mas é o meu coração

Que pulsa, luta, ama…

E me permite…

Agradecer à vida!...

 

Victor Jerónimo

Bahia, Brasil



publicado por assismachado às 22:11
link do post | comentar | favorito

TRIBUNA DOS TERTULIANOS

                                                            

                                               Machado de Assis (1839 - 1908)

 

IMAGEM – MEMÓRIA

 

A Machado de Assis, a minha homenagem

 

Cada poema pertence ao seu autor

Cada obra pertence ao passado,

Em policromia de emoção e cor,

Cujo génio fica eternizado…

Pela força de alcançar o eterno

Circula a semente deixada

Fecundada em noites de inverno

Na curva nunca ultrapassada.

 

Imagem-memória presente

Como a música de um violino pausada

Palavras nascidas da mente

Para uma obra iluminada

O fundo da sabedoria existe

Ressurgindo da mortalha, a expressão

Da sensibilidade fértil que resiste

À obra escrita com a tinta do coração.

 

 

Maria de Lourdes Agapito

 

*

 

NÃO VENHAS TARDE

 

Meu amor, não venhas tarde

Sabes bem, estou à espera

Vem matar-me a saudade

Quem espera desespera.

 

O meu jardim está lindo

Cercado de cravos brancos

Onde o meu amor passeia

Domingos e dias santos.

 

A ribeira de Odemira

Tão linda como “loendrais”

Já fui lavar à ribeira

Na “companha” de outras mais.

 

Não sei se vens ou não vens

Isto são ideias minhas

Sabes que espero por ti

Para apanhar as camarinhas.

 

A minha saia tem roda

A tua nem roda tem

A minha saia é mais bonita

Porque a fez minha mãe.

 

 

                                      Perpétua Matias 



publicado por assismachado às 19:51
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

A VOZ POÉTICA DOS TERTULI...

TERTULIANOS LAUREADOS - M...

A TERTÚLIA NO FACEBOOK

POEMAS DE GOETHE

O SÉCULO DE BOCAGE

POETAS DO FUTURO

OS AMIGOS DE ITÁLIA

TERTÚLIA ANUAL DE HOMENAG...

COLABORAÇÃO POÉTICA

TRIBUNA DOS TERTULIANOS

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2012

Maio 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Dezembro 2009

Setembro 2009

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

links
blogs SAPO
subscrever feeds