ESPAÇO COLECTIVO ARTISTICO E CULTURAL - COORDENADO PELA POETISA AMÉRICA MIRANDA - E ONDE SE INSEREM AS CONTRIBUIÇÕES DE TODOS OS TERTULIANOS, TANTO EM VERSO COMO EM PROSA, COM O OBJECTIVO DE DIVULGAÇÃO E HOMENAGEM AO GRANDE POETA ELMANO SADINO !
Sexta-feira, 9 de Setembro de 2005
POESIA E FORMA - DR. REIS BRASIL e FRASSINO MACHADO
I PARTE - MEDIDA VELHA E MEDIDA NOVA

Por
Dr. Reis Brasil

Embora continue a poetar-se, entre nós, na chamada "medida velha", a partir de certa altura toma maior vulto a "medida nova".
Na "medida velha" incorpora-se a redondilha tradicional composta de cinco e de sete sílabas ( redondilha menor e redondilha maior ), que, por vezes, se juntam com o verso de onze sílabas. Nesta medida é usual a tendência para "cantigas sujeitas a mote", seguidas de glosa, ou para diversos argumentos de versos de cinco e de sete sílabas. Recordemos o teatro vicentino, as Quintilhas de Sá de Miranda, as Redondilhas de Camões, as cantigas sujeitas a mote de Diogo Bernardes. Isto no século XVI. Mais tarde seguirão esta medida Rodrigues Lobo em parte, assim como, também em parte, Nicolau Tolentino e Bocage.
A "medida nova", na sua forma genuína, adopta, sobretudo, os conhecidos "versos decassilábicos", ou seja, de dez sílabas. Embora estes já existissem em Portugal, desde as nossas Cantigas de Amor, agora retoma nova vida em seguimento da actuação dada pelos renascentistas italianos: acentuação nas sílabas 6ª e 10ª, ou nas sílabas 4ª, 8ª e 10ª. A forma mais divulgada é o Soneto , composto por duas quadras e dois tercetos de versos decassílabos. O esquema ideal para Castilho é este: ABBA, ABBA, CDC, DCD. Pode ainda seguir-se este esquema: ABAB, ABAB, CDC, DCD; a rima dos tercetos é muito variável. Mais tarde surgirá o Soneto alexandrino, com a mesma estrutura e acentuação, com a diferença de se tratar de "versos duodessilábicos", isto é, de doze sílabas. Consta que o Soneto é originário da Sicília e terá sido trazido da Itália, no século XVI, por Sá de Miranda que, posteriormente o divulgou e ao qual Camões, logo a seguir, deu suma expressão. Temos ainda a "Canção", que se divide, geralmente, em três partes: 1) -cenário; 2) - o amor enquadrado nesse cenário; 3) - invocação à Canção personificada. Entre as formas clássico-renascentistas, integradas na designação de "medida nova" recordemos as seguintes: elegia, écloga, epístola, epigrama, ode, sextilha, epitalâmio, ditirambo.

Dr. Reis Brasil,
In HISTÓRIA DA LITERATURA PORTUGUESA


publicado por assismachado às 15:56
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

A VOZ POÉTICA DOS TERTULI...

TERTULIANOS LAUREADOS - M...

A TERTÚLIA NO FACEBOOK

POEMAS DE GOETHE

O SÉCULO DE BOCAGE

POETAS DO FUTURO

OS AMIGOS DE ITÁLIA

TERTÚLIA ANUAL DE HOMENAG...

COLABORAÇÃO POÉTICA

TRIBUNA DOS TERTULIANOS

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2012

Maio 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Dezembro 2009

Setembro 2009

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds