ESPAÇO COLECTIVO ARTISTICO E CULTURAL - COORDENADO PELA POETISA AMÉRICA MIRANDA - E ONDE SE INSEREM AS CONTRIBUIÇÕES DE TODOS OS TERTULIANOS, TANTO EM VERSO COMO EM PROSA, COM O OBJECTIVO DE DIVULGAÇÃO E HOMENAGEM AO GRANDE POETA ELMANO SADINO !
Terça-feira, 21 de Novembro de 2006
É HORA DE PROSA ! - PERPÉTUA MATIAS
DOIS SÓIS
 
Era Primavera. Os passarinhos faziam seus ninhos, esvoaçavam numa azáfama constante com seus trinados de liberdade sadia.
Os pardais, em bandos, faziam sombras sobre os verdes trigais, as andorinhas traziam bocadinhos de barro nos bicos, assim faziam os seus ninhos debaixo dos beirais dos telhados.
As abelhas, num vaivém de flor em flor, era vê-las num zumbido musical levando pólen para o mel que só elas sabem fazer. Ao longe uma nuvem muito escura de um cinzento assim como que a atirar para o lilás contrastava com as lindíssimas cores do arco íris de sublime beleza. Lá estava enfeitando o universo na sua imponente realeza. Escondido, o sol atrás das nuvens refletia tantas e variadas cores como se Deus com a Sua própria mão ali fosse pintar o maior e mais lindo quadro do mundo inteiro.
Caiu a noite, o vento veio de mansinho fazer a sua ronda, trazia um sussurrar de carinho. Devagar, empurrou a nuvem escura e logo a lua espreitou, reflectiu sobre a terra aquele luar de luz resplandecente nos valados.
Entre os arbustos silvestres, rouxinóis trinavam suas canções, o campo era verde, o vento passou leve e foi dormir, as estrelas começaram a brincar às carreirinhas pelas clareiras do azul do céu.
Ao ver tanta beleza que só Deus nos pode dar senti uma imensa felicidade, mas aí pensei: Deus, que me deu a vida, deu-me tudo, cresci sem pensar, sem cuidados e agora ? Que faço da vida? Senti um vazio, já não era menina, tive a impressão que o mundo não me interessava, era tudo tão lindo mas eu não tinha nada.
Foi então que Deus me mandou lá do céu duas estrelas, tão belas como dois sóis, sóis que me iluminaram o caminho e aqueceram a minha alma, refrescaram a minha mente. Deram-me tanta felicidade, toda a razão de viver, dois sóis que amo eternamente. Abraço-os quando estão perto e se estão longe, em pensamento.
 
 
Perpétua Matias
In VOAR LIVREMENTE


publicado por assismachado às 11:10
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

A VOZ POÉTICA DOS TERTULI...

TERTULIANOS LAUREADOS - M...

A TERTÚLIA NO FACEBOOK

POEMAS DE GOETHE

O SÉCULO DE BOCAGE

POETAS DO FUTURO

OS AMIGOS DE ITÁLIA

TERTÚLIA ANUAL DE HOMENAG...

COLABORAÇÃO POÉTICA

TRIBUNA DOS TERTULIANOS

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2012

Maio 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Dezembro 2009

Setembro 2009

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

links
blogs SAPO
subscrever feeds