ESPAÇO COLECTIVO ARTISTICO E CULTURAL - COORDENADO PELA POETISA AMÉRICA MIRANDA - E ONDE SE INSEREM AS CONTRIBUIÇÕES DE TODOS OS TERTULIANOS, TANTO EM VERSO COMO EM PROSA, COM O OBJECTIVO DE DIVULGAÇÃO E HOMENAGEM AO GRANDE POETA ELMANO SADINO !
Quarta-feira, 4 de Agosto de 2004
PONTOS ALTOS DA VIDA DE BOCAGE
CRONOLOGIA DA VIDA DE BOCAGE

Por Assis Machado

1765 – Nasce Manuel Maria de Barbosa du Bocage, em Setúbal, aos 15 de Setembro. Filho de José Luís Soares de Barbosa e de D. Mariana Joaquina Lestof du Bocage.

1773 – Escreve, segundo testemunhos fidedignos, os seus primeiros versos.

1775 – Fica órfão de mãe.

1780 – Completa, com distinção, os seus estudos básicos sob a orientação do professor espanhol D. João de Medina. Neste mesmo ano conhece, em Setúbal, o seu primeiro grande amor, Gertrudes de Noronha : a Gertrúria dos seus versos.

1781 – Em Setembro, assenta praça como soldado, no Regimento de Setúbal.

1783 – Transfere-se para a Armada Real, em Lisboa.

1785 – Completa os seus estudos medio-superiores na Academia Real da Marinha.

1786 – Consegue a patente de guarda-marinha. Vai para Goa, na Índia, a bordo da nau “Nossa Senhora da Vida, Santo António e Madalena”, que faz escala no Rio de Janeiro. Aqui conviveu algum tempo, relacionando-se com as melhores famílias da cidade.

1789 – Rebenta em França a Revolução Jacobina Liberal, a qual impressionou deveras a sua própria personalidade.

1789 – Segue para a praça de Damão como tenente de Infantaria. Deserta, juntamente com alguns amigos e, acidentalmente, querendo ir para Macau, chega a Catão.

1790 – Regressa a Lisboa. Aqui granjeia fama como poeta e boémio inveterado.

1791 – Idílios Marítimos, Rimas ( 1º Vol. ) . Entra como sócio para a Nova Arcádia.

1791 – Escreve "Epístola a Marília" ou "Pavorosa Ilusão da Eternidade" e, contra Agostinho de Macedo, a famosa catilinária “Pena de Talião”.

1792 – Chegando a ser considerado aderente jacobinista e pedreiro-livre é detido sob a acusação de “herético perigoso e dissoluto”. Foi levado preso para o Limoeiro.

1794 – Aceita o cargo de tradutor, função que exerceu com engenho notável, apoiado por frei Mariano Veloso.

1798 – Transferem-no debilitado para o Recolhimento de Nossa Senhora das Necessidades, uma espécie de hospício.

1799 – Rimas ( 2º Vol. )

1804 – Rimas ( 3º Vol. ). Adoece com gravidade.

1805 – Morre Bocage, em Lisboa, aos 21 de Dezembro, assistido por sua irmã Maria Francisca. Foi enterrado no cemitério da Igreja Paroquial de Nossa Senhora das Mercês, no Bairro Alto.


Organização de
Assis Mchado


publicado por assismachado às 20:18
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

A VOZ POÉTICA DOS TERTULI...

TERTULIANOS LAUREADOS - M...

A TERTÚLIA NO FACEBOOK

POEMAS DE GOETHE

O SÉCULO DE BOCAGE

POETAS DO FUTURO

OS AMIGOS DE ITÁLIA

TERTÚLIA ANUAL DE HOMENAG...

COLABORAÇÃO POÉTICA

TRIBUNA DOS TERTULIANOS

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2012

Maio 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Dezembro 2009

Setembro 2009

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds