ESPAÇO COLECTIVO ARTISTICO E CULTURAL - COORDENADO PELA POETISA AMÉRICA MIRANDA - E ONDE SE INSEREM AS CONTRIBUIÇÕES DE TODOS OS TERTULIANOS, TANTO EM VERSO COMO EM PROSA, COM O OBJECTIVO DE DIVULGAÇÃO E HOMENAGEM AO GRANDE POETA ELMANO SADINO !
Segunda-feira, 13 de Março de 2006
NEM SÓ DE POÉTICA VIVEM OS POETAS !

FÁBULAS DE BOCAGE

Esta cuidada edição de quatro dezenas de páginas é constituída por uma interessante selecção de onze fábulas e um epigrama bocageanos. A transcrição dos textos é enriquecida pelas belas ilustrações de Julião Machado, resultando um trabalho de apurado gosto gráfico. A oportuna introdução (pp. 3-6) e a actualização do texto tendo como base a edição comemorativa de 1905, confrontada com a edição original de 1799 e 1800 são da responsabilidade de Daniel Pires. Sendo um género cultivado desde a Antiguidade Clássica ( Esopo ) até aos Tempos Modernos ( La Fontaine ou Curvo Semedo ), o discurso poético da fábula, protagonizado por animais com atitudes e ditos antropomorfizados, adequa-se admiravelmente à veia satírica de Bocage, como nos lembra o organizador desta bela edição: "Curiosamente, Bocage só tardiamente cultivou a fábula, o que não deixa de ser surpreendente, pois trata-se de um género feito à sua medida, e sintonia com a sua proverbial irreverência e o seu espírito crítico". Duas edições de referência da obra poética bocageana ( Obras de Bocage, Porto, Lello, 1968, pp. 1103-1155; e Opera Omnia, Lisboa, Bertrand, vol. IV, 1972, pp. 176-212 ) registam 28 fábulas, originais ou traduzidas de La Fontaine. Curiosamente, tem-se assistido nos últimos tempos a um apreciável número de publicações onde sobressai a vida e obra de Bocage. Entre outras edições, destaquem-se três ou quatro de natureza diversa, a título de exemplo: primeiro, a de uma obra intitulada Fábulas e Contos para Crianças ( Lisboa, Instituto Piaget, 2000 ), antologia contendo textos bocageanos; segunda, a teatralização da vida do poeta, Bocage, Ele Mesmo ( Lisboa, Portugalmundo, 1999 ), na sequência de outras conhecidas dramatizações de tão atribulada existência; terceira, um estudo introdutório, de preocupações didácticas, intitulado Para uma Leitura da Poesia de Bocage ( Lisboa, Presença, 1999 ), do autor desta recensão; por fim, um exercício de reescrita paródia de alguns poemas de Bocage, da autoria do professor brasileiro ( da Universidade de São Paulo ), Francisco Maciel da Silveira, e incluídos em Palimpsestos. Uma História Intertextual da Literatura Portuguesa ( Santiago de Compostela, Edicións Laiovento, 1997, pp. 23-25 ).
Daniel Pires ( n. em 1951 ) é o dinâmico director do Centro de Estudos Bocageanos (CEB), a quem se devem, aliás, outros importantes trabalhos de divulgação da obra do poeta sadino, tais como: a organização e publicação da brochura da Exposição Biobibliográfica comemorativa dos 230 e dos 190 anos do nascimento e da morte de Bocage ( Setúbal, Câmara Municipal de Setúbal / Biblioteca Pública Municipal de Setúbal, 1995 ); ou, com Fernando Marcos, a edição de uma pasta com 15 belos postais (sépia), sobre Bocage na Prisão ( Setúbal, CEB, 1999 ). A sua actividade crítica e ensaística tem ainda outros temas de interesse, como se conclui das suas publicações sobre vários autores. Merecedor de destaque está o seu incansável trabalho de um Dicionário da Imprensa Periódica Literária Portuguesa no Século XX ( Lisboa, Grifo ), já com dois volumes publicados (1º vol., 1900-1940; 2º vol., 1º tomo, 1941-1974 ). Ficamos, pois, à espera do seguimento deste importante serviço à cultura portuguesa, no domínio pouco estudado da sua imprensa periódica, bem como de outros trabalhos de divulgação ou de ensaio interpretativo sobre a obra poética do maior pré-romântico português.

Pesquisa de
Assis Machado



publicado por assismachado às 09:39
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Anónimo a 21 de Março de 2006 às 00:41
O "blog" está bem conseguido, sem dúvida. Vale a pena vir por aqui de vez em quando. No entanto, em Julho de 2004, para exemplificar a poesia de Natália Correia puseram lá dois sonetos que são da minha autoria! E "descobriram" até que fazem parte da "Dimensão Encontrada"! Dois outros "blogues" fizeram confusão, cada um com o seu soneto. Palavra de honra que não estou a brincar. Consultem o "Projecto Vercial", por favor, ou outros "blogues" em que o meu nome vem.Daniel de Sá
(http://Maia, S. Miguel)
(mailto:daniel.de.sa@sapo.pt)


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

A VOZ POÉTICA DOS TERTULI...

TERTULIANOS LAUREADOS - M...

A TERTÚLIA NO FACEBOOK

POEMAS DE GOETHE

O SÉCULO DE BOCAGE

POETAS DO FUTURO

OS AMIGOS DE ITÁLIA

TERTÚLIA ANUAL DE HOMENAG...

COLABORAÇÃO POÉTICA

TRIBUNA DOS TERTULIANOS

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2012

Maio 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Dezembro 2009

Setembro 2009

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds