ESPAÇO COLECTIVO ARTISTICO E CULTURAL - COORDENADO PELA POETISA AMÉRICA MIRANDA - E ONDE SE INSEREM AS CONTRIBUIÇÕES DE TODOS OS TERTULIANOS, TANTO EM VERSO COMO EM PROSA, COM O OBJECTIVO DE DIVULGAÇÃO E HOMENAGEM AO GRANDE POETA ELMANO SADINO !
Segunda-feira, 28 de Janeiro de 2008
É ESCASSO TUDO O QUE SE POSSA DIZER DE BOCAGE !

                                                    

                                             

 

                                               FRASEOLOGIA BOCAGIANA

- Lobo Mata

“A notável versatilidade poética de Bocage é visível na temática dos seus Sonetos e não só... Quem lhe estudou ( estude ) os passos compreende melhor e entende bem a fácil e permanente adaptação ao «novo» que não deve confundir-se com fraca personalidade e muito menos falta de carácter. Bem vistas as coisas... estávamos perto ou vivendo já o 1789, a conturbada Revolução Francesa que marca o fim da Idade Moderna e o início da Idade Contemporânea. Bocage teve poucos anos de vida mas parece que os viveu muito avançados no tempo”.

- América Miranda

“Todos os poemas de Bocage entram como dardos floridos na alma humana. Muitos autores contribuíram para dissipar as lendas torpes que amesquinharam e rebaixaram, tanto o talento como a desventurada existência do excelso Vate, pois cingindo-se à verdade reabilitaram a sua memória limpando-a de repugnantes impurezas com que gerações sucessivas a conspurcaram, restituindo-lhe o brilho fulgurante do génio”.

- Graciett Vaz

“Bocage foi um eterno sonhador e se muitas das suas Musas foram apenas loucas fantasias é sinal de que ele não podia viver sem aquilo que de mais bonito deve existir entre o homem e a mulher: o Amor-Paixão”.

- M.ª de Lourdes Ferreira

“Bocage era dotado de grande sensibilidade. Numa fase da sua vida quando esteve no cárcere, sentia-se profundamente infeliz e desamparado, todavia era muito grato aos amigos que o visitavam e apoiavam. Tanto no amor como no sofrimento, e na sua escrita, foi um génio inesquecível”.

- Celeste Reis

“Portugal bem se pode orgulhar da insigne figura que foi o nosso incomparável Poeta Bocage, pois o seu nome continuará brilhando na eterna fulgurância da sua obra poética que atingiu o apogeu cintilante das mais brilhantes estrelas do Universo”.

- Amélia Marques

“Bocage, o incomparável Poeta, é uma estrela fulgurante a brilhar no Firmamento”.


publicado por assismachado às 19:37
link do post | comentar | favorito
|

POETAS ILUSTRES MARINHENSES

ILÍDIO PEREIRA DE CARVALHO
( 1868 – 1925 )

Poeta e Guarda-Livros. Nasceu na Marinha Grande, a 6 de Dezembro de 1868, e faleceu na mesma vila a 9 de Março de 1925. Além de cantar a musa, como insigne poeta, foi músico apreciável. Exímio guitarrista. A par de versos sublimes que o dotaram como poeta talentoso, escreveu, igualmente, uma Revista que denominou "Coisas da Minha Terra" e que teve, na altura, enorme sucesso.
Tendo sido muito sabedor e enciclopédico no entanto nunca chegou a ver as suas obras editadas. Postumamente o seu filho, em colaboração com alguns amigos, editou em 1938 um livro, onde inseriu os seus melhores poemas. Foi justa e merecedora esta homenagem.
Ilídio de Carvalho era avô materno da Presidente e Fundadora da Tertúlia Poética “Ao Encontro de Bocage” – Maria América de Carvalho Alves Miranda ( América Miranda )

                              *

                    CONTRASTE

                    A... 


                    Como o som de harpa dolente
                    Que ao longe ecoa e fenece, 
                    Como o sol no ocidente
                    Que no mar desaparece,
                    Como um canto de àvezinha
                    Que expira na solidão,
                    Como fôlha que à tardinha 
                    Foi levada num tufão,
                    Ou como um ai que morreu...
                    Assim sou eu.

                    Como a linda madrugada 
                    A raiar no oriente,
                    Ou como estranha balada 
                    Que nos encanta, fremente,
                    Como rosa que aparece
                    Rainha do seu Jardim,
                    Singela como um jasmim,
                    Traz de amores o peito nu...
                    Assim és tu.

                    Eu sou treva - tu és luz;
                    Eu sombra - tu o matiz;
                    És aurora - eu ocidente;
                    Vivo triste e tu contente

                    ..................................

                    Ai! Deus te faça feliz!...

                                  *

                    Pesquisa em : Doc. da C. M. M. G.

                  «Personalidades Marinhenses»

                    Frassino Machado



publicado por assismachado às 18:48
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

TERTULIANOS LAUREADOS - M...

A TERTÚLIA NO FACEBOOK

POEMAS DE GOETHE

O SÉCULO DE BOCAGE

POETAS DO FUTURO

OS AMIGOS DE ITÁLIA

TERTÚLIA ANUAL DE HOMENAG...

COLABORAÇÃO POÉTICA

TRIBUNA DOS TERTULIANOS

LUGAR À PROSA LÍRICA

arquivos

Setembro 2012

Maio 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Dezembro 2009

Setembro 2009

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds