ESPAÇO COLECTIVO ARTISTICO E CULTURAL - COORDENADO PELA POETISA AMÉRICA MIRANDA - E ONDE SE INSEREM AS CONTRIBUIÇÕES DE TODOS OS TERTULIANOS, TANTO EM VERSO COMO EM PROSA, COM O OBJECTIVO DE DIVULGAÇÃO E HOMENAGEM AO GRANDE POETA ELMANO SADINO !
Quarta-feira, 26 de Julho de 2006
FRASEOLOGIA BOCAGEANA

Bocage tinha envergadura para uma afoiteza dessas, e o ambiente o não subjugasse, - pois é de altíssimo poeta o maravilhoso exame de consciência do soneto seguinte:” meu ser evaporei ...”

Fidelino de Figueiredo


O acto de penitência que o fez escrever «Se creste em mim, gente ímpia, rasga meus versos, crê na Eternidade» encontra-se superado pelo valor dos seus melhores sonetos que, esses sim, desafiam a Eternidade"

José da Silva

Há na sublime individualidade de Bocage o que quer que seja de extraordinário que nos encanta, que nos arrebata, que nos enche de um entusiasmo inexplicável, delirante mesmo”.
Abílio David

... homenagem ao que possuia a alma mais alevantada e nobre que em peito português pulsou, nesses tempos de ignominiosa baixeza cívica e individual”.
Joaquim Brandão

Que ao menos a cidade de Setúbal saiba honrar a memória do seu filho dilecto, que é também uma glória de Portugal”.
Fazenda Junior

... o mais fecundo lírico deste Século, o improvisador de mais fácil e abundante veia – Bocage”.
João da Rosa Martins

´«E o rei da Literatura Portuguesa de então – Manuel Maria de Barbosa du Bocage. Bocage era o verdadeiro Rei daquelas inteligências todas – rei solitário e soberbo como o Sol, tento como ele uma missão criadora e sublime – a do Génio”.
Manuel António de Azevedo

Saudosa Gema, ó Lísia! Céus! Delira!
Mortais, perdemos já no insigne Elmano,
Qual no Ismário cantor, um Deus da Lira”.
José Sabino dos Santos Ramos

Na segunda metade do Século passado, nasceu nesta cidade um homem que, pela força admirável do seu estro, veio a ser uma das glórias deste país, e o mestre querido de quantos falam a nossa Língua aquém e além Atlântico”.
Marquês d' Ávila e Bolama
 

Mestre querido! Viverás em quanto
Houver quem pulse o mágico instrumento,
E preze a língua que prezavas tanto.
E em quanto houver n' um ponto do Universo
Quem ame e sofra, e amor e sofrimento
saiba, chorando, traduzir em verso”.

Olavo Bilac


publicado por assismachado às 17:21
link do post | comentar | favorito
|

"ESTE ROMANTISMO" - BARBOSA DU BOCAGE
CÓPIA DE INÊS

Por
Barbosa du Bocage
Da miseranda Inês o caso triste
nos tristes sons que a mágoa desafina,
envia o terno Elmano à terna Ulina,
em cujos olhos seus prazer consiste.
Paixão que, se a sentir, não lhe resiste
nem nos brutos sertões alma ferina,
beleza funestou quase divina,
de que a memória em lágrimas existe.
Lê, suspira, meu bem, vendo um composto
de raras perfeições aniquilado
por mãos do crime, à natureza oposto.
Tu és cópia de Inês, encanto amado,
tu tens coração, tu tens seu rosto...
Ah! Defendam-te os Céus de ter seu fado!
 
In RIMAS


publicado por assismachado às 17:06
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 24 de Julho de 2006
A TRIBUNA DOS POETAS - FERNANDO ELOY DO AMARAL E PERPÉTUA MATIAS
A IRACEMA

Por
Fernando do Amaral


Bocage, a quem dás Amor Ardente
e com Amor festeja este teu Dia,
grato por tua excelsa idolatria
e estar no Coração sempre presente,

Com a febril ternura tão Luzente,
e na Alma, a criar a fantasia
de uma eternal e bela companhia,
feita realidade finalmente.

Deseja a Iracema mil venturas.
a quem Ama Poesia bem sagrada,
os poetas com tantas desventuras

E, com rara Coragem tão esforçada,
vai levando esquecidos às Alturas,
merece esta Homenagem Consagrada!


*

INCONSCIÊNCIA

Por
Perpétua Matias


Porque amas a negrura?
Será que tens consciência
Do que estás a fazer?
Talvez nunca reparasses
No cantar dos passarinhos,
Nem conheças um caminho
Estreito, chamado vereda!
Percorrendo este atalho,
Podias compreender
Como é bonita a natureza.
Olharias prados e montes,
O colorido das papoilas,
E de tantas outras flores,
Sentirias o verniz das estevas,
Ouvirias o som das montanhas,
E até verias uma lebre a correr
Entre as curvas do caminho.
Ah, sim! Se assim soubesses olhar,
Teu sentir seria diferente,
Bem vês, o mundo não é só teu,
O mundo é de toda a gente.
O mundo é meu, é teu, é nosso,
Merece ser respeitado,
E tu, respeita o teu ser,
Porque ao queimares teu semelhante,
Incendeias tua alma,
E a cinza não tem beleza.
**


publicado por assismachado às 18:44
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

EDITORIAIS BOCAGEANOS - EM LOUVOR DE BOCAGE !
Por
América Miranda

Sabe-se como ponto indiscutível que Bocage é, acima de tudo, um “poeta amoroso” mesmo um dos poetas de mais ardente ou passionalsentido amoroso de toda a nossa Literatura.
É evidente que um dos pontos fundamentais da sua obra é precisamente acelebração desse amor, ou as contradições (especialmente a do”ciúme”) provenientes desse sentimento. Na vida deste “devoto incensador de mil deidades ( digo moças mil! )” há, contudo, muitas modalidades desse mesmo “Amor-Paixão”. Na maior parte dos sonetos temso, assim o julgamos, amores mais ao menos ligeiros, amores mais ao menos passageiros. Há contudo, um valiosíssimo número de sonetos, os seus magníficos sonetos, que são testemunhos bem eloquentes de amores firmes, com a firmeza que se podia esperar das tremendas vicissitudes a que esteve sujeita a vida deste “poeta boémio”. As suas amadas de sinceridade aparecem através de toda a sua obra com nomes e anagramas variados, pelos quais o Vate pretendia ocultar a identidade das mesmas. Muitas denominações encerram referências mitológicas. Tudo isto deu origem aos mais belos versos da Língua Portuguesa.


publicado por assismachado às 18:38
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 5 de Julho de 2006
A HERANÇA DE BOCAGE
           ELMANO SADINO

                    Letra e Música de:
                    Francisco de Assis

      Elmano, Elmano Sadino
      tens força de tradição
      nossa alma canta-te um hino,
      com versos do coração,
      Elmano, Elmano Sadino,
      és sempre a nossa canção!

És poeta nascido sobre o Sado azul
criaste um modelo de íntegra história
teus versos correndo p' lo norte e p' lo sul
são alma no povo da tua memória.

És poeta do mundo por mar e por terra
fizeste odisseia por cidades mil
teus versos de paz e teus versos de guerra,
vão deste país ao distante Brasil.

És poeta vivido em justa alegria,
nos ricos, nos pobres, sentiste equidade
teus gestos, teus gritos em doce harmonia
abriram caminho para a liberdade...

És poeta guerreiro, teu lema é justiça,
são limpos os cantos que atearam paixões,
venceste os fantasmas do ódio e da liça
morando p' ra sempre nos fiéis corações.


Frassino Machado
In ODISSEIA DA ALMA


publicado por assismachado às 22:00
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

TERTULIANOS LAUREADOS - M...

A TERTÚLIA NO FACEBOOK

POEMAS DE GOETHE

O SÉCULO DE BOCAGE

POETAS DO FUTURO

OS AMIGOS DE ITÁLIA

TERTÚLIA ANUAL DE HOMENAG...

COLABORAÇÃO POÉTICA

TRIBUNA DOS TERTULIANOS

LUGAR À PROSA LÍRICA

arquivos

Setembro 2012

Maio 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Dezembro 2009

Setembro 2009

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds