ESPAÇO COLECTIVO ARTISTICO E CULTURAL - COORDENADO PELA POETISA AMÉRICA MIRANDA - E ONDE SE INSEREM AS CONTRIBUIÇÕES DE TODOS OS TERTULIANOS, TANTO EM VERSO COMO EM PROSA, COM O OBJECTIVO DE DIVULGAÇÃO E HOMENAGEM AO GRANDE POETA ELMANO SADINO !
Quarta-feira, 7 de Setembro de 2011
LUGAR À PROSA LÍRICA


 

AMOR SEM BARREIRAS

 

Graciosa, gentil e airosa, passava a Rita, a menina mais linda daquela terra. Tinha um corpo elegante, sinuoso e provocante que deixava os olhos e os corações dos homens chamejantes. Os ricos desejavam-na e julgavam comprá-la com o vil metal. Ela limitava-se a olhá-los, sobranceira com um ar desdenhoso.

A sua paixão era por um rapaz pobre, com um humilde emprego, mas, infelizmente era casado, vivendo um mau casamento que lhe pesava sobre os ombros como um fardo demasiado pesado. Um amor de certo modo impossível, pois Rita adorava o Carlos, mas não queria viver uma relação considerada pecaminosa.

Todavia, a chama que lhe queimava a alma obrigava-a sempre a correr  para os braços daquele amor que apenas se limitava a simples ósculos e abraços sem que ele a possuísse. Mas o desejo, esse sentimento que possuem as almas gémeas dos amantes, fez com que um dia Rita se entregasse a Carlossem medir as consequências inevitáveis desse acto.

O amor e a paixão redobraram, os encontros em lugares escondidos sucederam-se até que, uns olhos indiscretos os descobriram e espalharam a notícia, chegando aos ouvidos da mulher legítima e que, desorientada até pensou matar os dois amantes, pois amava o marido à sua maneira egoísta e não queria perdê-lo.

Quanto mais surgiram dificuldades, maior foi a paixão daqueles dois entes e Carlos decidiu enfrentar a possibilidade de um divórcio. Seguiram-se impropérios, insultos e tudo isso ainda aumentou mais o desejo dos dois amantes estarem juntos até ao fim dos seus dias. Quando conheci a Rita e o Carlos já estavam casados e passados tantos anos, ainda havia nos seus olhos aquela chama, aquela força imperiosa que os atirou para os braços da paixão e do amor sem limites.

Já há neve nos seus cabelos, mas uma serenidade indescritível naquele amor que ainda persiste, naquela cumplicidade tão linda de se ver. Após anos de luta ambos conseguiram melhores empregos, têm filhos e uma posição económica estável. E agora, perguntam os leitores… Que foi feito da primeira mulher?

Após diversas tentativas para destruir aquele amor que acabou com o seu casamento, conformou-se, arranjou outro amor e hoje também está feliz.

Estas linhas querem provar que o amor, mesmo caminhando por caminhos tortuosos, acaba sempre por vencer.

                                  

                                                                       América Miranda



publicado por assismachado às 10:56
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

TERTULIANOS LAUREADOS - M...

A TERTÚLIA NO FACEBOOK

POEMAS DE GOETHE

O SÉCULO DE BOCAGE

POETAS DO FUTURO

OS AMIGOS DE ITÁLIA

TERTÚLIA ANUAL DE HOMENAG...

COLABORAÇÃO POÉTICA

TRIBUNA DOS TERTULIANOS

LUGAR À PROSA LÍRICA

arquivos

Setembro 2012

Maio 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Dezembro 2009

Setembro 2009

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds