ESPAÇO COLECTIVO ARTISTICO E CULTURAL - COORDENADO PELA POETISA AMÉRICA MIRANDA - E ONDE SE INSEREM AS CONTRIBUIÇÕES DE TODOS OS TERTULIANOS, TANTO EM VERSO COMO EM PROSA, COM O OBJECTIVO DE DIVULGAÇÃO E HOMENAGEM AO GRANDE POETA ELMANO SADINO !
Quarta-feira, 28 de Maio de 2008
A TRIBUNA DOS POETAS - FRASSINO MACHADO E GRACIETT VAZ

 

                                 

OS REIS DA TERRA

Por
Frassino Machado


Hoje é dia de Reis de toda a Terra
Que a seu capricho ditam paz e guerra

 

Governam sejam novos, sejam velhos,
Por seu talento têm o aval dos povos

 

Governam e governam-se noite e dia
E nenhum astro ou ‘strela os alumia

 

Têm nas mãos o cálamo da lei
E do ventre da Terra extraem grei

 

Têm o poder das trevas e da luz
E o brilho da riqueza que seduz

 

Hoje é o dia de Reis do Universo
Cujo poder se ergue controverso

 

Governam sejam justos ou dementes
E sorriem reinando sobre as gentes

 

Governam nas procelas ou bonanças
E em todas as fronteiras fazem danças

 

Têm nas próprias mãos o seu destino
E no seu rosto um brilho peregrino

 

Carecem de nobreza e pergaminhos
E nem têm noção de outros caminhos

 

Em si mesmos são ouro, incenso e mirra
Num império baseado na mentira

 

Em si mesmos são ídolos de barro
Num reinado de Trevas bem bizarro

 

São estes Reis que ameaçam com a espada
Que afinal não são mais que pó e nada!

 


Frassino Machado
In RODA VIVA

 

*  

AMO A VIDA


Por
Graciett Vaz


Amo as andorinhas nos beirais
As portas abertas de par em par
Amo o sol que doira os trigais
E os zéfiros que os fazem ondear.

 

Amo a noite e os astros celestiais
A terra inundada de luar
Amo o olival, os sobros e os azinhais
As papoilas e as rosas de toucar.

 

Amo as tardes de horas tão amenas
Os lírios, os goivos, as açucenas
As fontes e as canções de embalar.

 

E neste mundo onde vivo e dou meus ais
Eu amo a vida para além de tudo o mais
Como uma preciosidade sem ter par.


**



publicado por assismachado às 10:21
link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De silas correa leite a 7 de Junho de 2008 às 17:30
POEMA DO HOMEM TRAÍDO

“Esses moços (...) /Vão ao
inferno à procura de luz”

Lupiscínio Rodrigues



Um homem traído é como um basculante
Sob as penas da irracionalidade
Um trator levando tudo de roldão
Como um anjo aleijado preso num fio de alta tensão

Um homem traído com nódoa e rancor
É uma metralhadora cheia de ódio
A bazuca o dezelo e de si mesmo no chão
A pomposa virilidade ferida de íntima expropriação

Um homem traído é um enorme bisonte
Com TNT na subterrânea insegurança
O calcanhar de aquiles na irrazão
E a morte de tudo é o abismo no hades da involução

Um homem traído na contracorrente
Da tragédia-cianureto ao ser de si
Não vale o que foge; nem um tostão
Só se matar a morte fosse como se dissesse não ao não

-0-

Silas Correa Leite, Itararé-SP, Cidade Poema
E-mail: poesilas@terra.com.br
Site: www.itarare.com.br/silas.htm










De assismachado a 8 de Junho de 2008 às 08:02
Excelente poema de crítica social em que está verdadeiramente salvaguardada a dimensão humanista de cada ser humano. Parabéns, meu amigo Silas, e volta sempre para oportunamente partilhares connosco esta saga redutora ...
Um cordial abraço de
Assis Machado


De silas correa leite a 8 de Junho de 2008 às 22:02
Eu amo a Poesia - Assim na terra como no céu, ela me liberta do foro íntimo de mim Pelo poema eu me uno com o todo cósmico, pois a Poesia me representa e me escreverá no céu perante o Dono de Todas as Coisas. O corpo, a alma, a mente - Poetam-me na corrente sanguínea Escrever está no meu DNA E a Poesia é ultrapássaro no espírito Vai além do tempo e do espaço, já que a arte letral cria em si a essência. O homem que produz luz se enlaça com a eternidade E refaz seu ninhal, alumbra seu encantário. Eu amo Poetar. Todos os seres do mundo deveriam fazer arte. Dizem, os poetas viajosos e puristas entre pirilâmpadas de todas as dimensões,que os anjos, no céu recebem de braços abertos e vestidos de estrelas, os loucos que na térrea se tornaram sal, vinagre e fermento, Se elevaram na purgação de viver e criar E assim se decantaram, para voar Acima das lágrimas Quando se escreveram com sangue no livro da vida, e com amor na arte literária O que fez com que eles tivessem aqui mesmo, um céu na alma. Silas Correa Leite


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

TERTULIANOS LAUREADOS - M...

A TERTÚLIA NO FACEBOOK

POEMAS DE GOETHE

O SÉCULO DE BOCAGE

POETAS DO FUTURO

OS AMIGOS DE ITÁLIA

TERTÚLIA ANUAL DE HOMENAG...

COLABORAÇÃO POÉTICA

TRIBUNA DOS TERTULIANOS

LUGAR À PROSA LÍRICA

arquivos

Setembro 2012

Maio 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Dezembro 2009

Setembro 2009

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds