ESPAÇO COLECTIVO ARTISTICO E CULTURAL - COORDENADO PELA POETISA AMÉRICA MIRANDA - E ONDE SE INSEREM AS CONTRIBUIÇÕES DE TODOS OS TERTULIANOS, TANTO EM VERSO COMO EM PROSA, COM O OBJECTIVO DE DIVULGAÇÃO E HOMENAGEM AO GRANDE POETA ELMANO SADINO !
Quinta-feira, 27 de Outubro de 2005
FRASEOLOGIA BOCAGEANA - DIVERSOS AUTORES
- O Génio subiu ao assento etéreo, mas as estrelas e o murmúrio do vento cantam as suas poesias imortais.

= América Miranda

- Ele era um génio: na espaçosa fronte deixara um traço vivo do horizonte o Sol da inspiração que aí passara.

= J. Monteiro

- Coube-te em sorte o génio, que eterniza ilustres nomes de Camões, de Horácio, e que há-de eternizar também teu nome.

= Vicente Cardoso da Costa

- Sou do mísero Elmano ( o Vate Excelso, por quem Lisa suspira, arqueja, anela ) o discípulo amigo.

= Francisco Medina Vasconcelos

- Reputado pelo consenso universal como um dos nossos melhores poetas, e depois de Camões o mais popular e celebrado de todos.

= Inocêncio Francisco da Silva

- Bocage será um dos poucos que dão à Língua Portuguesa, então, vibratilidade.

= Luís Silveira

- Inédito Elmano, Colossal Portento, que apoiavas de Lisboa o lustre, a glória.

= José da Cunha Magalhães

- O vasto Elmano, o mestre dos Cantores

= F. Alvares de Nóbrega

- Manuel Maria Barbosa du Bocage foi o maior génio do Século XVIII

= Augusto da Costa

- Alma suprema que se comprazia em conviver com almas inferiores.

= Correia da Costa

- Teve inspiração, teve jogo, teve talento verdadeiro.
= Luís de Figueiredo

- … prestar homenagem a quem foi, pelo seu génio, um grande e alto valor nacional.

= Miguel Rodrigues Bastos

- “Saiba morrer quem viver não soube” … assim cantava Bocage, o músico do verbo metrificado, o poeta verdadeiro.
= Teixeira de Pascoaes

- … Nos Sonetos, duma perfeição e dum brilhantismo, que ombreiam com o melhor de Camões nesse género.
= Mendes dos Remédios

- … maior setubalense de todos os tempos, de todas as idades.
= Óscar Paxeco

- Manuel Maria Barbosa du Bocage foi o maior poeta deste Século, e talvez, de toda a nossa Literatura. Ninguém até hoje, entre nós, versejou com tanta naturalidade e tão espontaneamente como ele; ninguém como ele, manejou, e variou tanto a medida e rima poéticas.
= Fernandes Agudo

- «O rio Sado, e o Tejo, choram por Bocage no silêncio da noite».

- «O Céu, os Anjos, e as Estrelas, ganharam um Génio, um Poeta, um Profeta, mas a terra sente saudades de Elmano Sadino».
= Maria de Lourdes Ferreira


publicado por assismachado às 16:40
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

TERTULIANOS LAUREADOS - M...

A TERTÚLIA NO FACEBOOK

POEMAS DE GOETHE

O SÉCULO DE BOCAGE

POETAS DO FUTURO

OS AMIGOS DE ITÁLIA

TERTÚLIA ANUAL DE HOMENAG...

COLABORAÇÃO POÉTICA

TRIBUNA DOS TERTULIANOS

LUGAR À PROSA LÍRICA

arquivos

Setembro 2012

Maio 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Dezembro 2009

Setembro 2009

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds