ESPAÇO COLECTIVO ARTISTICO E CULTURAL - COORDENADO PELA POETISA AMÉRICA MIRANDA - E ONDE SE INSEREM AS CONTRIBUIÇÕES DE TODOS OS TERTULIANOS, TANTO EM VERSO COMO EM PROSA, COM O OBJECTIVO DE DIVULGAÇÃO E HOMENAGEM AO GRANDE POETA ELMANO SADINO !
Sexta-feira, 8 de Junho de 2007
CASA DE BOCAGE - A SAGA DO PATRIMÓNIO


                                                  

                                                         « CASA DE BOCAGE »

 

EXÓTICA SUGESTÃO

Por
Fernando Eloy do Amaral

“Depois de morto cevada ao rabo” – lá diz o velho ditado. “Depois da virgindade perdida não se volta à inocência, nem se torna necessário tanto resguardo”. Não se perde o já perdido. É louvável proteger imóvel de “valor simbólico e histórico importante para a memória colectiva da população”. Mas lamentável é não se ter protegido essa “primitiva” e “verdadeira” Casa que a tradição nos dizia nela ter nascido o Poeta Bocage.
Casa infelizmente destruída, como é sabido, por ilustres sábios e conscienciosos “restauradores” de edifícios famosos, sejam eles grandiosos, na forma e no estilo artístico, ou singelos e desataviados, modestos e até paupérrimos, e nos quais ocorreram preciosos eventos notáveis dignos da nossa memória.
Que a “fictícia” “Casa de Bocage”, actual sucessora da “ex-Casa de Bocage”, venha a ter utilidade cultural e o agrado de todos, são os nossos sinceros votos, e que tenha a necessária e justificada protecção e inúmeros visitantes, são os nossos delicados desejos.
O Poeta Bocage será sempre recordado, sem a “verdadeira” Casa onde nasceu, sem mausoléu ou cenotáfio, sem essa suposta Casa, situada algures em Setúbal, onde teria na “realidade” nascido o excelso Vate, segundo um aturado estudo, recente, de um ilustre historiador e biógrafo brasileiro, e sem o devido carinho, merecido, de muitos responsáveis pela Cultura do espírito e zeladores do Património Nacional.
Para recordar o poeta Bocage basta o que ele poeticamente criou, os seus Belos e Luminosos Versos Imortais.
Um exótica sugestão: «Acrescentar junto à lápida, já colocada na chamada “Casa de Bocage”, outra, com os dizeres elucidativos “Esta Casa assinala a já não existente onde nasceu o Poeta Bocage”».
Seria um remate curioso!



publicado por assismachado às 19:48
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

A VOZ POÉTICA DOS TERTULI...

TERTULIANOS LAUREADOS - M...

A TERTÚLIA NO FACEBOOK

POEMAS DE GOETHE

O SÉCULO DE BOCAGE

POETAS DO FUTURO

OS AMIGOS DE ITÁLIA

TERTÚLIA ANUAL DE HOMENAG...

COLABORAÇÃO POÉTICA

TRIBUNA DOS TERTULIANOS

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2012

Maio 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Dezembro 2009

Setembro 2009

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds